Francisco, o radical

O papa confirma sua opção pelos pobres e sua estatura de estadista ao reunir em Roma os movimentos populares.

Poucos dias depois do tempestuoso epílogo do Sínodo sobre a família, se alguém considerasse incerta a rota com que o papa Francisco dirige o navio da Igreja, teria rapidamente de mudar de opinião. Com firmeza absoluta, própria de um monarca, Bergoglio defenestrou um dos principais opositores, o cardeal estadunidense Raymond Burke, do cargo de prefeito do Tribunal Supremo, o máximo órgão jurisdicional da Santa Sé. Depois de ter criticado Francisco pelas posições expressas contra os excessos do capitalismo e de se posicionar como tradicionalista em todas as questões controvertidas do recente Sínodo, Burke teve a ousadia, dias atrás, de declarar que a Igreja era “um barco sem leme”. Foi assim que o timoneiro jesuíta, para demonstrar o contrário, considerou conveniente para o cardeal o repousante novo encargo de Patrono da Ordem de Malta, ilha do Mediterrâneo onde nasceu a rosa dos ventos, a fim de permitir-lhe tempo suficiente para uma reflexão mais ponderada sobre assuntos de navegação.

Nos mesmos dias, beneficiando-se de uma rodada de nomeações, o papa Francisco aproveitou para dar continuidade à sua revolução organizacional na Cúria Romana, cortando cabeças hostis e promovendo prelados fiéis, como no caso do novo responsável pelas relações com os Estados, ou seja, o ministro do Exterior da Igreja, o bispo Paul Richard Gallagher, inglês de 60 anos, nascido em Liverpool no mesmo subúrbio dos Beatles, Allerton, e com ampla experiência internacional nos cinco continentes.

Continuar lendo

8 dados que mostram o abismo social entre negros e brancos

São Paulo – A população negra brasileira ainda enfrenta um abismo de desigualdade. São os negros as maiores vítimas da violência e os que sofrem mais com a pobreza. Eles também têm pouca representatividade nas esferas políticas e tem renda média muito menor que a dos brancos.

A discussão sobre estas barreiras a serem superadas volta ao centro do debate nesta quinta-feira, quando o Brasil comemora o Dia da Consciência Negra. A data foi escolhida por ser o dia da morte de Zumbi dos Palmares, símbolo da luta pela liberdade e valorização do povo afro-brasileiro. Dos mais de 5,5 municípios do país, apenas 1.047 adotaram feriado na data.

Continuar lendo

‘Política de intolerância’ sofre abordagem seletiva”

Entrevista

Leonidas Donskis, filósofo lituano, explica que países escolhem seu “bode expiatório” e critica hierarquização dentro da União Europeia.

Sociedades com tradição democrática estão se tornando intolerantes. Em países como França e Holanda, cada vez mais pessoas projetam suas frustrações em imigrantes ou minorias étnicas. Em outros países, essa “política de intolerância” se reflete contra gays e lésbicas. Trata-se, portanto, de uma “abordagem seletiva”, afirma o lituano Leonidas Donskis.

No Brasil para a 4ª Festa Literária Internacional de Cachoeira, que ocorreu no Recôncavo Baiano, o filósofo esteve encarregado de analisar o extremismo e a intolerância que tomam conta, de maneiras diferentes, da União Europeia hoje. “Um dos maiores problemas hoje na Europa é o fato de as pessoas tentarem explicar sua falta de tolerância referindo-se à cultura, aos valores e à tradição. E eu, como filósofo, não entendo o que eles querem dizer com ‘valores e tradição’. Toda sociedade está mudando, a vida está mudando o tempo todo em todo lugar. Que tipo de valores e tradição as pessoas têm em mente? Eu realmente não sei…”, disse em entrevista aCartaCapital.

Continuar lendo

Questões do Enem não têm mesmo valor; entenda o sistema ‘antichute’

Os estudantes que fazem as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) podem conferir os gabaritos alguns dias depois do exame, mas só saberão sua nota quando for divulgado o resultado individual, já que a correção do exame é feita pela TRI (Teoria de Resposta ao Item).

A TRI não contabiliza apenas o número total de acertos no teste, leva em conta a dificuldade de cada questão. Um item com baixo índice de acertos tem mais peso na pontuação final, aqueles com alto índice de acertos contam menos pontos na nota final do candidato.

Além disso, o sistema ‘antichute’ consegue perceber quando a resposta não é compatível com o nível de conhecimento demonstrado pelo aluno e reduz a pontuação da questão.

Renato Júdice, diretor acadêmico do sistema de ensino UNO Internacional, afirma que a forma de calcular o resultado da TRI é bastante complexa, mas que o importante é o candidato entender o lado pedagógico, a informação do que é preciso melhorar a partir da nota obtida.

Continuar lendo

Mais de 1.500 candidatos são eliminados do Enem por quebrar regra

Mais de 1.500 candidatos foram eliminados do Enem. Pelo menos 236 pelo uso indevido de celulares. Neste ano, a segurança foi reforçada dentro e fora das salas de aula.

A taxa de abstenção do exame permaneceu nos 30% – patamar considerado alto pelo Ministério da Educação. Dos quase 9 milhões de inscritos, 2 milhões e meio deixaram de comparecer às provas.